Resumo da Dissertação de Mestrado – Flávio Gimenes de Oliveira

OLIVEIRA, F. G. Estudo comparativo dos diferentes modelos de taxas de sedimentação utilizando o 210Pb. 2009. 80 f.Dissertação (Mestrado em Química)-Universidade Cruzeiro do Sul, São Paulo, 2009.

RESUMO

A geocronologia com 210Pb é utilizada para determinar a taxa de acúmulo de sedimentos em lagos, oceanos e outros corpos de água. São típicas as aplicações, onde são obtidos taxas de sedimentação em períodos de 100 a 200 anos. A partir da taxa de sedimentação é possível calcular a idade da coluna sedimentar, com isso é possível avaliar o impacto antrópico no ambiente. Em uma coluna sedimentar, a atividade do 210Pb, denominado 210Pb(não suportado), decresce em função do tempo com uma meia-vida de 22,26 anos, até atingir o equilíbrio com o 226Ra. Modelos para a determinação da taxa de sedimentação, a partir do 210Pb, são muito utilizados e o objetivo deste trabalho é avaliar o uso dos seguintes modelos: CIC (Constant Initial Concentration), CRS (Constant Rate Supply) e ADE (Advection Diffusion Equation). No modelo CIC (concentração inicial constante) é levado em consideração a concentração de 210Pb(não-suportado) em cada fatia da coluna sedimentar por unidade de massa seca, este modelo é mais adequado em regiões com uma deposição de sedimentos permanente, sem haver interferência de correntes ou movimentos bruscos da lâmina d’água. No modelo CRS (taxa de suprimento constante)é estabelecido uma taxa de sedimentação constante ao longo de uma coluna sedimentar de tamanho definido. Este modelo é mais apropriado em regiões de grande interferência nas deposições de sedimentos, no qual há uma distribuição irregular da atividade do 210Pb ao longo da coluna sedimentar. No modelo ADE (equação de advecção difusional) temos que o transporte de solutos dentro dos poros médios do sedimento pode ser utilizado para calcular a cronologia e a taxa de acúmulo de sedimentos. A partir da compreensão dos diferentes modelos foi possível utilizar um software dedicado para o estabelecimento de taxas de sedimentação, desenvolvido por Bhagwan Shukla, e dados fornecidos pelo Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo. Os resultados obtidos mostraram a aplicabilidade de cada modelo assim como a potencialidade do software adquirido, o qual minimiza de forma significativa o tempo necessário para a determinação de taxa de sedimentação, um importante parâmetro em estudos de dinâmica marinha e impacto ambiental decorrente da atividade antrópica em sistemas fluviais ou marinhos.

Palavras-chave: 210Pb, Taxas de Sedimentação, Geocronologia, CRS, CIC, ADE.

Anúncios

Publicado em 08/11/2010, em Meio Ambiente. Adicione o link aos favoritos. 4 Comentários.

  1. Dione Nascimento

    Olá Flávio, boa tarde. Estava procurando artigos sobre taxa de sedimentação quando encontrei o resumo de sua dissertação. Sou doutoranda em Geologia pela UERJ e o meu objetivo principal é saber a taxa de deposição sedimentar na minha área. São 05 sondagens localizadas a cerca de 4 KM da linha de costa atual. Tenho um total de cerca de 100 amostras nos 05 poços e a sua maioria é argilo-arenosa passando a areno-argilosa. Meus poços n chegam a 20 metros de profundidade e já existem trabalhos que comprovam que a idade do sistema local n passa de 6.000 AP. Então gostaria de saber se é possível trocarmos informações acerca desse método que vc utilizou e queria saber se é viável realizá-lo nas minhas amostras. Agradeço desde já sua atenção. Aguardo retorno.

    Curtir

  2. Rafaella Fontes

    Olá Flávio, gostaria muito de acessar seu trabalho completo. Sou mestranda do Programa de Geografia da UFRJ e estou trabalhando com 210 Pb e estou interessada em saber mais sobre CIC (Constant Initial Concentration) e o CRS (Constant Rate Supply).

    Curtir

    • Olá Rafaella, meu trabalho está disponível na base de dados da USP e UNICSUL, você pode procura-los nestas instituições de pesquisa, mas caso tenha algum problema, me enviei seu e-mail, verei com meus orientadores a possibilidade de disponibilizar isso, existe um outro trabalho de um pesquisador da Bahia que tem um excelente trabalho deste assunto, mas não me lembro do nome, terei de ir até a USP para procurar essa tese de Doutorado… Existe uma outra forma de calculo de taxas de sedimentação que trabalhei muito no mestrado, que trata-se do ADE (Equação de advecção difusional) muito mais precisa que o CIC e o CRS …

      Obrigado por escrever.
      Flávio Gimenes de Oliveira

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: