Novo combustível triplica capacidade dos foguetes espaciais

Redação do Site Inovação Tecnológica – 31/12/2010

Novo combustível triplica capacidade dos foguetes espaciais

Representação da trinitramida – N(NO2)3 – a nova molécula com potencial para se tornar o combustível de uma nova geração de foguetes.[Imagem: KTH]

Eficiência do combustível

Trinitramida. Este é o nome de uma molécula recém-descoberta que poderá se tornar um componente essencial no combustível de uma nova geração de foguetes de maior capacidade.

Há uma regra geral na indústria aeroespacial de que cada 10% de melhoria na eficiência do combustível significa dobrar a carga útil que os foguetes são capazes de levar ao espaço.

Segundo as avaliações iniciais, um combustível à base de trinitramida pode ser de 20 a 30% mais eficiente do que os melhores combustíveis para foguetes disponíveis hoje.

A trinitramida foi descoberta no Instituto Real de Tecnologia (KTH), na Suécia.

Óxidos de nitrogênio

Segundo o Dr. Tore Brinck, responsável pela pesquisa, descobrir uma nova molécula no grupo dos óxidos de nitrogênio não é algo que aconteça todos os dias.

Ele e seus colegas estavam usando cálculos de química quântica para estudar a quebra de outro composto quando descobriram que esta nova molécula poderia ser estável.

“O que é específico para esta molécula é que ela só contém nitrogênio e oxigênio. Apenas oito compostos assim eram conhecidos até hoje, e a maioria deles foi descoberta no século 18. Este é também claramente o maior dos óxidos de nitrogênio. Sua fórmula molecular é N(NO2)3, e a molécula tem a forma semelhante a uma hélice,” disse Brinck.

Combustível amigável

O fato de ser composta unicamente por nitrogênio e oxigênio torna o combustível de foguete à base de trinitramida menos danoso ao meio ambiente.

Hoje, a cada lançamento dos ônibus espaciais, seus dois foguetes laterais, que usam combustível sólido, liberam o equivalente a 550 toneladas de ácido clorídrico na atmosfera.

Por enquanto os cientistas conseguiram produzir apenas uma quantidade pequena do novo composto, dentro de um tubo de ensaio, o suficiente para que ele fosse analisado de forma inequívoca.

Mas os cientistas ainda não sabem se o composto permanecerá estável na forma sólida.

Bibliografia:
Experimental Detection of Trinitramide, N(NO2)3
Martin Rahm, Sergey Dvinshikh, Istvan Furó, Tore Brinck
Angewandte Chemie International Edition
23 DEC 2010
Vol.: Early View
DOI: 10.1002/anie.201007047

Anúncios

Publicado em 31/12/2010, em Ciência e tecnologia. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: