Químicos transformam ácido em base

São Paulo- Pesquisadores da Universidade da Califórnia – Riverside subvertem tudo o que as aulas de química nos ensinaram e transformam, pela primeira vez, compostos ácidos em básicos.

O feito, considerado impossível até agora, foi publicado na última edição da Science, uma das mais importantes publicações científicas do mundo.

Em seu laboratório, o Dr. Guy Bertrand, líder do estudo, conseguiu modificar o número de elétrons em um átomo de boro, que é ácido, para se comportar como uma substância básica (similar ao nitrogênio ou fósforo) sem mudanças no núcleo do átomo.

Existem algumas diferentes definições de ácidos e bases, mas uma das mais antigas estabelece que a “base é definida como um doador de um par de elétrons, e o ácido como um receptor de par de elétrons” (G.N.Lewis). Assim, mudando os elétrons do átomo ácido, foi possível fazê-lo se comportar como básico.

A pesquisa torna possível uma série de novas reações, abrindo portas para a indústria e a fabricação de novos materiais. Ela é especialmente proveitosa para o laboratório do próprio Dr. Bertrand, especializado nos chamados catalisadores.

Um catalizador é uma substância que facilita ou permite uma reação química – eles aceleram a reação mas não são consumidos ou alterados durante o processo. Muitos dos catalisadores utilizados são metais e, ao redor deles, durante as reações, ficam alguns íons ou moléculas – os chamados ligantes. Os ácidos não podem ser usados como ligantes na formação de um catalisador – somente as bases.

O problema em algumas reações está no tipo de ligante que funciona com os metais- por exemplo, o fósforo, uma substancia tóxica que pode contaminar o produto final. O trabalho recém-publicado mostra que é possível substituir os ligantes de fósforo, que é uma base, como ligantes de boro (que é ácido, e em tese jamais poderia exercer essa função).

O boro não é tóxico e não prejudica o resultado final, mas ele só pode ser utilizado por ter sido modificado para se comportar como uma base. O potencial completo da descoberta ainda é desconhecido, mas a técnica de conversão já está sendo patenteada pela UCR.

Anúncios

Publicado em 03/08/2011, em Ciência e tecnologia. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: